O expresso turístico: um passeio de trem

Gosto muito de trens. De uma maneira geral são mais amplos e mais confortáveis do que ônibus, as estações costumam ser lugares muito interessantes, e ficar olhando o mundo passar lentamente pela sua janela é uma experiência que curto. Pois por conta disso resolvemos conhecer um trem dito turístico da Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos. São 3 roteiros, um aos sábados e dois aos domingos, com percurso que vão até cidades proximas, como Jundiai, Mogi das Cruzes e Paranapiacaba. O trem sai às 8:30 e retorna às 16:30.

Como são apenas duas composições do trem e a procura é muito grande, é preciso comprar as passagens com antecedência. No dia que fomos comprar só encontramos o roteiro para Mogi das Cruzes. As passagens são compradas em um guichê da Estação da Luz e logo do lado dele há um balcão de uma empresa de turismo vendendo passeios nas cidades de destino dos roteiros. Caros! Para dar uma ideia, no roteiro de Mogi há um passeio a uma fazenda de criação de orquídeas com o preço de 50 paus por pessoa. Resolvemos não comprar passeio nenhum. Iriamos conhecer a cidade, dar uma volta a pé, almoçar por lá. Se fosse o caso de encontrarmos algum passeio lá, mais barato, quem sabe.

A viagem é muito legal, o trem é razoavelmente confortável, o pessoal é gentil. Durante todo o percurso uma senhorita vai nos dando informações sobre a importância histórica da região, significado dos nomes dos municípios, das estações.

O trem sai da Estação da Luz, que é um lugar muito bonito

A duração da viagem é de mais ou menos 1 hora e meia, de modo que chegamos em Mogi por volta das 10 horas. Conseguimos um mapa da cidade, tomamos um cafe e começamos a andar. E nada. Era domingo e a cidade estava toda fechada. Não tinha nada que se pudesse fazer, ver, ouvir. Nada. Bem, para não dizer que  não havia nada, quando passamos em frente a catedral estava começando uma missa. Mas nós não queríamos rezar. Em uma das praças há um quiosque turistico, mas parece que apenas para vender aqueles tais passeios para a fazenda de orquideas. Impressionantemente não há nada que se possa fazer, nenhuma alternativa é dada ao turista, que fica perdido na cidade deserta.

A cidade não é bonita. Um ou outro casarão interessante, mas no geral é uma cidade mal cuidada, sem atrativos, pelo menos nessa parte central. A impressão que ficamos é que o trem trás pessoas para os passeios da empresa turística, não trás para Mogi. E que Mogi não está nem ai para quem chega naquele trem. Ficamos imensamente decepcionados.

Um dos poucos casarões interessantes

Com o centro da cidade todo fechado, restou-nos comer em um restaurante chines, que tinha até uma comidinha boa. E nós que imaginávamos entrar um lugar agradável,  ao ar livre, para tomar um cerveja e ver o tempo passar.

Enfim, só vale a pena fazer esse roteiro se voce estiver a fim de gastar dinheiro com os  passeios. E voltar carregada de jarros de orquídeas.

Uma ideia interessante completamente desperdiçada, infelizmente. Quer saber mais? http://www.cptm.sp.gov.br/E_OPERACAO/ExprTur/

 

Uma consideração sobre “O expresso turístico: um passeio de trem”

  1. Pena que a cidade não agradou, Vera. Eu também ADORO andar de trem e gosto mesmo é do trem lento (como eu… rsrsr). Entre o TGV e o Andean Explorer, fico com este último, mas qualquer Maria Fumaça para mim já está valendo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s