Siracusa, 740 anos a.C.

E nossa viagem pela Sicilia termina no lugar mais  bonito que percorremos: Siracusa. Fiquei completamente encantada com essa cidade que foi colonizada pelos Corintos, em quase 740 anos antes de Cristo, e onde foram encontrados vestígios de comunidades da Era do Bronze.

É assim: Siracusa tem uma ilha, a ilha da ilha. Na verdade uma ilhota, separada do “continente” (eles falam assim mesmo, apesar do “continente”ser tambem uma ilha) por um pequeno braço do Mediterrâneo, um bairro chamado Ortigia, que foi onde tudo começou. Existe, então, uma Siracusa mais “continental”, que é mais moderna, mais nem tanto, e Ortigia, antiga, com ruas estreitas e tortas sem calçadas, praças amplas com piso de pedras brancas e um marzão lindo, azul escuro, de aguas limpíssimas.

Esse braço de mar separa o “continente” de Ortigia
As ruas de Ortigia são assim ou até mais estreitas

Na parte do “continente” tem um imenso e belo parque arqueológico, onde, entre outras coisas pudemos ver um teatro romano, onde aconteciam espetáculos de luta, e um teatro grego, enorme, onde aconteciam espetáculos teatrais. Aliás, quem nasceu por aqui foi Ésquilo. Outro siracusano ilustre foi Arquimedes.

O teatro romano
O teatro greco

Suas ruas são contornadas por espirradeiras rosa e branca, que dá um ar encantador. Além disso ao longo de toda a avenida principal (o Corso Umberto I) existem bancos de madeiras virados pra rua, que nos permite fazer pausas na caminhada e ficar olhando os carros passarem. Nos deu a sensação de uma cidade pensada para as pessoas, não para os carros.

As espirradeiras do Corso Umberto I

Mas é em Ortigia que está a maior parte das antiguidades. Uma delas está logo no começo da ilha: as ruinas do Templo de Apolo, que fica numa praça super simpática, onde se reunem os siracusanos no final da tarde para tomar um café ou simplesmente conversar.

Mas é quando voce vai caminhando para o interior da ilhota que ela  fica mais linda. Uma das belezas é a fonte da Aretusa, com um imenso Cyperus Papirus, a planta de onde, obviamente, se faz o papiro. Pelo que soubemos, aqui é uma das poucas regiões no mundo onde ela cresce.

E o mar Mediterrâneo, majestoso e belo.

Enfim, Siracusa/Ortigia é uma cidade para se passar mais tempo. É tranquila, sem aquela enxurrada de turistas de Taormina, sem ladeiras e com um clima mais ameno que as outras cidades. Se voce só tiver que ir a um lugar na Sicilia, vá a Siracusa. E se hospede em Ortigia.

2 comentários em “Siracusa, 740 anos a.C.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s