Valparaíso, ou Valpo para os íntimos

Moro em uma cidade de praia, numa região das mais belas praias do Brasil, assim, quando viajo, lugares de praia não me chamam a atenção. Quando vou a Argentina nunca penso em ir a Mar del Plata, nem ir a Punta del Este no Uruguai, e nunca tinha pensado em ir a Valparaíso até que li um post no blog do Ricardo Freire (http://www.viajenaviagem.com/) falando muito bem de lá. Além do mais, Ary tinha a informação que se fossemos de carro, ficava muito perto da Isla Negra de Neruda, o que é verdade. 

Valparaíso e Viña del Mar são cidades gêmeas, mas, ao que parece, gêmeas bivitelinas, porque são bastante diferentes uma da outra. Enquanto Viña del Mar é o balneário clássico e elegante, Valparaíso nem um balneário é. Antigo principal porto do Chile, ela trás as marcas de uma certa decadência no prédios descuidados que estão na sua parte baixa. O comercio é bastante popular e agitadíssimo; o trânsito, uma loucura. Mas é tranquilo caminhar no longo parque que acompanha a Av. Brasil, ainda que ele esteja mal cuidado. 

Vimos na Praça, mas não sabemos o que significa, nem tinha ninguem pra informar
Os prédios da parte baixa

Ai voce olha para os morros (cerros) ao redor e imagina que está vendo uma Rocinha arrumada. Casas à perder de vista, em todos os cerros. Mas de forma ordenada, moradias de classe média, artistas e curtidores em geral. E aí está a parte descolada da cidade. A mim lembrou incrivelmente Olinda, com um pouco de Santa Tereza, no Rio. Ruas estreitas, com calçamento de paralelepípedo, algumas ladeiras e casario de outras épocas transformados em restaurantes, bares, café, galerias de arte, pousadas.

Poderia ser Olinda, poderia ser Santa Tereza

Uma característica interessante, e que não tem nada a ver com Olinda, é a grande quantidade de prédios de zinco. Na verdade, com revestimento de zinco, coloridos, dando um ar muito alegre a cidade. Ficamos especulando o porquê do zinco e nos ocorreu que deve ter a ver com proteção contra o vento frio. Será?

Lindas!
Outro exemplar

Mas, o que mais me chamou a atenção foram os grafites. Quem me conhece sabe como eu gosto dessa arte de rua. Me encantam! Fotografei o que pude, mostro os melhores.

Infelizmente tivemos somente uma tarde por aqui, com tempo apenas para um sorvete em uma galeria de arte, olhando o mar lá embaixo. Valpo é para se passar pelo menos três dias. Mas ela não perde por esperar. Voltaremos.

Claro que não fomos a Viña del Mar. Nada mais entediante do que um balneário elegante depois de se passar pelo pitoresco de Valparaíso.

Uma consideração sobre “Valparaíso, ou Valpo para os íntimos”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s