Saigon, rio Menkog

Enfim consegui destrinchar a confusão Ho Chi Minh ou Saigon. Nosso guia hoje nos informou que o nome Saigon é muito antigo, vindo dos ancestrais, por isso a gente da cidade a chama assim, enquanto que os de fora (de outras províncias) a chamam Ho Chi Minh, ao ponto de se alguém se refere à cidade com esse nome, os nativos já sabem que é algum “estrangeiro”. Ele particularmente acha o nome Saigon “mais elegante”. E como eu acho também, chamarei Saigon e esquecerei o Ho.

Ontem estivemos passeando pelo rio Merkong, que fica em uma província vizinho a Saigon, distante um pouco mais de uma hor de ônibus. O atrativo dessa região é a produção e o beneficiamento do côco e o objetivo do nosso passeio era justo mostrar esse trabalho, que se dá em condições bem precárias, pela população ribeirinha. 

Mas antes de chegar ao rio, nossa guia, falando num espanhol estropiado, nos diz que vamos conhecer uma fábrica artesanal de ladrilhos. Logo nos animamos. “Hum, deve ter ladrilhos legais. Vou levar uns”. Aí paramos e haja a andar no meio de um monte de tijolo. E ela entusiasmada, contando como se fazia e tal. Um tempo depois a idiota aqui percebeu que ladrilho é tijolo em espanhol. Perdi a graça e não quis mais ver aquele monte de poeira.

    
Tomamos um barco a motor, com o barulho que me lembrou muito as barcas da Redinha, e seguimos rio acima, numa região muito bonita, cheia de bambus e palmeiras. Durante todo o passeio não consegui parar de pensar em Apocalipse Now, imaginando os yanques atolado naquele mangue, naquele calor infernal, sem ter noção do que estavam fazendo ali. No caminho já chama a atenção a quantidade de barcaças que passam absolutamente carregadas de côco ou de casca de côco. 

    
Talvez para um gringo aquilo possa ser pitoresco, mas nós conhecemos côco, sabemos o que se pode fazer com ele e com suas palhas, de modo que o que a guia nos dizia como grande invenção Vietnamita, a gente torcia a boca, e dava um “tunco” de desprezo. Depois comemos em um lugar super simplinho na beira do rio. Foi muito legal. Eles serviram um sopa, que aliás é a abertura de todo cardápio, e depois colocaram na mesa peixe, arroz, pepino e uma folhas brancas que imaginei serem guardanapos. Só que não. Eram papel de arroz comestível. As meninas enrolam nele pedaços do peixe, montinhos de arroz e pepino e nos dá pra comer. Devemos comer com papel e tudo, molhando em um molho de tamarindo. Uma delicia!

A aventura terminou quando, para tomar o barco tivemos que fazer um percurso em uma canoa a remo. Era uma coisa que a gente tinha que entrar devagar, sentar no meio do banco de madeira e não se mexer, sob risco do barco virar. Foi tenso, o calor era sufocante, eu pingava por todos os poros e sonhava com o ar condicionado do ônibus. Eu queria mo-rrer!

  

6 comentários em “Saigon, rio Menkog”

  1. Sinto falta de observação do povo, vestimenta, cores, postura. E arquitetura é feia, banal?? Tá calor de quanto?? É abafado,seco. E a vegetação? Paisagens…

    Curtir

  2. Vou dizer viu amiga. Sair do Brasil prá ver côco e tijolo? Só querendo morrer mesmo. Mulher vá ver a cidade, o urbano deve ter coisas bem diferentes do que os cantos do mangue. Isso no Maranhão e no Pará é só o que tem.

    Curtir

  3. Vera, mil desculpas. Me enganei, os templos são no Laos e Cambodga. vi em um post de uma conhecida que fez esse roteiro teu. De qualquer forma, acho que a cidade deve ter o que ver e sentir o clima.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Na verdade o que eles têm muito é o culto aos antepassados. Em quase todas casas há um altar, com fotos, velas, incenso. E no aniversário da morte de cada um deles é “aberto” um canal de comunicação e os familiares aproveitam para “conversar” com eles.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s