O Castelo de Edimburgo

Do centro da cidade, de onde você olhe, o Castelo vai estar lá, olhando pra você, guardando a cidade antiga. É uma construção imponente mas não amedrontadora. Parece mais um grande Castelo mesmo, quando sua função original era de fortaleza.

Se chega lá por imensas escadarias desde a Grassmarket ou subindo ladeiras a pé ou de carro, fazendo-se o último trecho por escadas. Nada muito sacrificado.

Você vai ter que disputar com toneladas de turistas um lugar na imensa fila, que, organizadamente, anda rápido. No pórtico, a entrada é ladeada por imensas estátuas dos heróis nacionais William Wallace (aquele do Coração Valente, com Mel Gibson lindo, lembram?) e Robert Bruce.

E só lá dentro você tem a dimensão do que é de fato aquilo tudo. É uma cidade que reúne desde instalações militares, calabouços e alojamentos, até o palácio real, com praças e espaços livres. E uma pequena capela (infelizmente fechada a visitação), que consta como sendo a mais antiga construção de Edimburgo. Por incrível que pareça também tem canteiros de flores!

No Palácio estão guardadas as joias da coroa escocesa. Me impressionou a espada! Belíssima, com uma impunhadura imensa, que devia exigir muita musculação do rei pra levantar aquilo. Mas que devia também causar medo ao inimigo quando erguida. A curiosidade é uma pedra retangular que era usada, nos primórdios, antes da anexação à Inglaterra, como trono e que depois passou a ser colocada embaixo do trono propriamente dito, como afirmação sutil da identidade escocesa, mesmo sob julgo da Rainha.

Dos lados do Palácio está um museu militar é uma sala de armas. Sempre me impressiona muito as armaduras. Fico imaginando o peso, a dificuldade de mobilidade, a cota de malha de ferro por baixo, aquele capacete sufocante. Olhe, não era pra qualquer um. Imagino hoje, nossos homens metrossexuais, metidos num negócio daqueles, e dou risadas mentais.

Não fui visitar as prisões e masmorras. Não gosto de ver essas coisas que expõem a crueldade da natureza humana. Dói na alma.

Nos pátios e praças a animação é grande. Um “soldado” ensina um grupo de turistas a manejar as lanças e dar os gritos de guerra, um gaiteiro toca sua gaita (me amarro no som da gaita de foles, me trás emoções de coisas que não lembro ter vivido), um senhor, com vastos e grisalhos bigodes, vestido a caráter, se mantém postado para fotos. E eu, confesso, paguei o mico. Os bigodes me atraíram 😝

Depois disso tudo, você ainda tem uma vista linda da cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s