Portugalete e Getxo: super vale a pena

Na região metropolitana de Bilbao, a meros 20 minutos de metrô desde o centro, está a lindinha Portugalete. Havíamos planejado conhecer alguma cidade próxima, para a qual tomaríamos um trem num bate-e-volta. Ouvimos sugestões de Guernica e Balmaseda, mas resolvemos ir a Oficina de Turismo ouvir mais. Até porque o que lemos sobre essas duas cidades não nos animou muito.

(Um parêntesis para dizer que mesmo que você não precise de informação alguma, se puder dê uma entrada na Oficina de Turismo, na Plaza Circular. É linda! Está do lado de El Corte Inglês”)

Pois lá a menina nos sugeriu ir a Portugalete e Getxo. Tomamos o metro do outro lado da rua, pagamos 1,80 euros e fomos.

(Outro parêntesis para dizer que o metrô de Bilbao é impressionantemente moderno, limpo, bonito. E que, se viajar por ele, não jogue fora o bilhete porque você vai ter que usá-lo para sair da estação de destino.)

Portugalete e Getxo são duas cidades vizinhas, separaras pelo início da ria que desce até depois de Bilbao, e unidas por uma ponte “colgante”, que é uma das atrações do pedaço. Estão na costa do mar da Cantábria e, imagino, no verão deve ser uma loucura. Como praia, obviamente, não chegam nem as pés das nossas, logo, nada a dizer.

Mas Portugalete é um encanto de cidadezinha, com seu casco histórico medieval, becos e ladeiras. Fundada no século XIV, a cidade foi de fundamental importância para o escoamento pelo mar das produções de Bilbao. Nessa época era uma cidade murada, mas praticamente nada restou.

A grande atração – e realmente é muito interessante – é a chamada “puente colgante”. Trata-se de uma ponte onde as pessoas e os transportes não passam por cima dela, mas são transportada em um enorme vagão suspenso por cabos, que deslizam de um lado a outro, a poucos metros do nível da água. Também chamada de Puente Viscaya, ela foi inaugurada em 1893 e é a primeira deste tipo a ser construída. O vagão tem espaços laterais para as pessoas e para os carros no vão central. Paga-se 0,40 centavos para ir de um lado ao outro.

Em Getxo a grande atração é um passeio pela beira mar, onde estão as mansões dos ricaços. Pensávamos que eram tipo casas de veraneio, mas são construções de 3 ou 4 pisos e ficamos sem saber se moram varias famílias ou se somente uma. A praia tem um pequeno atracadouro completamente cheio de barcos, o que nos sugeriu que de fato ali é o lugar da burguesia. Demos um rolé rápido e pegamos o “colgante” de volta para nossos becos.

Ah, essa ponte tem uma história triste:

Como descemos muito até chegar a orla, ficamos pensando como iríamos penar na subida daquele monte de ladeiras. E aí tivemos a agradabilíssima surpresa de encontrar esteiras rolantes durante toda a subida! Que maravilha!

Enfim, Portugalete vale muito a pena ser visitada. Está pertinho de Bilbao, é barato chegar lá e a cidade é muito gracinha. Ah, e se come bem e barato. Nosso menu – risoto de lagostim, um pescado grelhado e uma torta de queijo de sobremesa, mais 1/2 garrafa de vinho e água – custou 12 euros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s