Bergen e seu tempo louco

Rumamos de Oslo para Bergen em um percurso de 6 horas de trem. Entrar na estação ferroviária de Oslo já em passeio gastronômico. Restaurantes finos, cafeterias, mercado de comidas gourmet, casas de câmbio, em um ambiente lindo, clean, com aquele design que só os escandinavos tem. Se você não souber onde comer em Oslo, vá na estação ferroviária, não tem erro.

Embarcamos com tempo bom, mas lá pelo meio do caminho começa a nevar, para nossa completa excitação. A partir daí fomos passando por lugares totalmente cobertos de neve, rios e lagos congelados, campos e campos branquinhos. Uma coisa linda de se ver (trancadinhos dentro do vagão com temperatura de 20 graus).

Como Bergen é costa, portanto nível do mar, não encontramos mais neve ao chegarmos. Mas encontramos frio e vento. Coisa de 4 graus, nada de matar.

Bergen é a segunda maior cidade da Noruega e foi sua capital de 1070 (ano de sua fundação) até 1299, mas continuou como a maior cidade do país até 1830. São 280 mil habitantes (em 2018). Cercada por montanhas e tendo uma vasta área banhada pelo Mar do Norte, Bergen é conhecida pela instabilidade do seu clima. Chuvas torrenciais podem desabar a qualquer momento. Sabendo disso saímos todos preparados, com guarda-chuvas nas mãos, apesar de fazer um dia lindo, o sol estar radiante e não ter nenhuma nuvem ameaçadora no céu. Sentamos para comer e eu tive que pedir para fechar a cortina, porque o sol era forte no meu rosto. Começamos a passear, o guia nos explicando coisas e aí o tempo vira completamente. Uma chuva intensa, com vento e granizo, fez a gente correr para se abrigar. Uma hora depois o sol brilhava outra vez.

Bergen é um destino turístico importante na Noruega. Felizmente ainda não estamos na alta estação, mas o que soubemos foi que se se vai em julho, agosto, a cidade fica intransitável. Mas ela é linda. Casinhas coloridas emolduram o canal principal. No topo de uma das montanhas há um mirador, um teleférico pode levar até lá.

Mas o mais interessante em Bergen é a região de Bryggen , um parte antiga da cidade que fica na margem da baía e onde estão as casinhas de madeira do tempo da Liga Hanseática. Essa liga foi uma associação comercial alemã que estabeleceu o monopólio na Europa e no Báltico, que abrangeu cerca de 100 cidades. Bergen pertenceu a essa Liga de 1350 a 1750. Conta a história que os alemães viviam nessas casinhas de madeira, somente homens, sem se misturar com a população local. Hoje poucas são as casas originais, elas foram reconstruídas guardando todas as características e hoje abrigam lojas, galerias de arte, ateliê de artistas, bares e cafés. Um lugar imperdível.

Bergen também tem a fama de ter o melhor bacalhau da Noruega. A curiosidade é que o bacalhau tal qual o conhecemos não existe aqui. Ninguém conhece bacalhau salgado. Ele é comido fresco e é verdadeiramente um delicia. Existem barraquinhas ao ar livre onde se pode comê-lo, além de outros frutos do mar e até carne de baleia. Uma dúvida que eu sempre tive pude tirá-la aqui: existe um peixe chamado bacalhau ou qualquer peixe pode ser salgado como o que conhecemos? O que o nosso guia nos explicou foi que o bacalhau salgado que é exportado para o Brasil (o maior comprador do produto) é feito com alguns tipos de peixe, dentro os quais o saithe, o ling e o zarbo, além do próprio bacalhau.

E é aqui que tomaremos nosso navio rumo ao Círculo Polar Ártico. Aguardem! ☺️

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s