Boston: uma tarde em Havard

Eu ainda era secundarista mas me lembro muito bem quando começaram a construir o campus da nossa UFRN. Corriam os anos de chumbo da ditadura militar no país e o que se dizia era que Campus ou Cidade Universitária era um conceito “moderno”, trazido das universidades americanas e européias. Na verdade, sabíamos nós, a idéia era ter mais controle sobre o movimento estudantil, que naquela época explodia em protestos e manifestações. E ai foram surgindo campi (plural de campus, aha! latim é comigo mesmo, estudei no ginásio) em todos os estados onde haviam universidades federais. Então, na minha cabeça, o conceito que ficou foi de um espaço restrito, muitas vezes cercado, onde se aglomeram as unidades acadêmicas e administrativas.

Claro que eu já tinha visitado outras universidades pelo mundo, mas em Havard foi engraçado. Tomamos um Uber e, de repente, o cara para em uma avenida bastante movimentada. Descemos e os meninos me dizem: “pronto, chegamos em Havard”. Como assim, Havard é o nome dessa cidade? Porque a rua que paramos era uma rua normal, de uma cidade qualquer. Tinha um Starbucks na esquina, um monte de lojas de roupa, assessórios, quitandas, ônibus passando pum lado e pro outro, gente passeando com bebês e cachorros, enfim, nada que lembrasse um campus universitário.

Seguimos e entramos, passando por um portão de ferro. Ai comecei a me sentir mais familiarizada. Porque dentro desse espaço parecia sim um campus. Demos logo de cara com a biblioteca, mas a proporção que fomos entrando, percebo que os prédios não são identificados. Em alguns há nomes de pessoas, tipo “Pavilhão George Washington”. Não soubemos porque isso, mas especulamos que pode ser por questões de segurança. Ou, pelo caráter elitista de Havard, pode ser algo tipo “quem é daqui sabe, os outros não precisam saber”. Lindos gramados e árvores circundam os prédios, tal como a gente ver naqueles filmes sessão da tarde.

Havard foi fundada em 1636, e isso me dá muita raiva. Essa parte da América não foi colonizada muito antes da nossa. Que a universidade de Évora tenha sido inaugurada em 1559, tudo bem porque Portugal é um país antigo, mas aqui??!!!! Que ódio!! Como é que eles tiveram Universidade tão cedo e a gente só começou a pensar nisso 2 séculos depois!

Mas, enfim, Harvard é muito bonita com seu traçado e seus prédios sólidos e vetustos (eita!). Ocorre que não se resume a esse espaço. A Universidade se espalha para além desses portões e ocupa mesmo as ruas do lado de fora. Vi um prédio esquisito, projetado por Le Corbusier, onde funciona o Centro de Artes Visuais; há um prédio novinho em folha onde vai funcionar uma unidade da área da saúde. Então, de fato aquela “cidade” onde paramos é mesmo Havard. A impressão que fiquei é que a cidade foi se construindo ao redor da Universidade e para suprir as necessidades dos alunos, professores e funcionários que, se quiserem e puderem, moram dentro da universidade.