Despedida de Roma, mas retornarei!

Nosso último dia em Roma foi assim, tipo, bater perna pra encontrar alguns lugares que ainda não tínhamos visto. Saímos meio sem rumo, esperando encontrar ainda o Pantheon e duas igrejas que tem obras de Caravaggio, pelo qual Fatima ficou completamente apaixonada. Necessariamente passamos pela Navona, para a ultima olhada (nessa viagem, porque outras virão). Olha que ângulo bonito!

DSC01593

Passamos outra vez pelo Campo de Fiori, porque havíamos passado no dia do toró. E nos deparamos mais uma vez com uma feira. Mas eu queria mesmo fotografar a estátua de Giordano Bruno, que me impressionou.

DSC01595

E seguimos até o Pantheon. E é impressionante. Por fora é uma estrutura pesada, redonda, com uma entrada com colunas capitolinas muito bonitas, mas o belo mesmo é por dentro. Um espaço circular imenso, com uma abobada imensa e um “óculum” bem no centro. Os textos informam que o diâmetro do espaço mede a mesma altura da abobada: 43 metros e pouco.

DSC01607

E encontramos a igreja de Santa Maria de Minerva, dois Caravaggios maravilhosos e na frente o elefante de Bernini, que, segundo consta é uma ironia com os elefantes de Anibal. Mas o mais interessante é um Cristo de Michelangelo, que o esculpiu com detalhes da anatomia que foram considerados indecorosos, exigindo-se que se colocasse um detalhe em bronze.

DSC01598

Umas comprinhas finais na Via del Corso e ciao, Roma. Seguimos para Positano, onde estamos agora.

Vamos ter que voltar, porque tem muita coisa que não conseguimos ver. Uma delas é a Roma subterrânea, com as catacumbas e as estruturas das cidades.